Pimenta: Moro está no Ministério da Justiça para proteger corruptos do governo

Comentários 0

 

Após a divulgação da lista dos criminosos mais procurados do País, omitindo miliciano ligado ao clã Bolsonaro, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) afirma que “agora ficou mais nítido do que nunca: Sérgio Moro está no Ministério da Justiça para proteger corruptos do governo e o crime organizado das milícias ligadas ao seu chefe Jair Bolsonaro”

O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) destacou a gravidade da omissão do miliciano “Capitão Adriano”, ligado à família de Jair Bolsonaro, na lista de criminosos mais procurados do Brasil, divulgado pelo Ministério da Justiça, comandado por Sergio Moro, nesta quinta-feira 30.

“Agora ficou mais nítido do que nunca: Sérgio Moro está no Ministério da Justiça para proteger corruptos do governo e o crime organizado das milícias ligadas ao seu chefe Jair Bolsonaro”, postou Pimenta no Twitter.

O destaque à omissão do miliciano foi feito pela Folha de S.Paulo, em reportagem publicada um dia após a divulgação da lista. Adriano teve duas parentes nomeadas no antigo gabinete do senador Flávio Bolsonaro, na Alerj, e clã se preocupa com a eventual vinculação do gabinete com o sobrenome do ex-capitão, como revelou mensagens trocadas entre o ex-assessor de Flávio, Fabricio Queiroz, e Adriano. 

A lista do Ministério da Justiça e Segurança Pública contém 26 criminosos, acusados de crimes graves e violentos, que estão com mandados de prisão em aberto e são ligados a organizações criminosas. A lista está disponível no site do ministério e será atualizada mensalmente.

“São indivíduos extremamente perigosos, com mandados de prisão, seja decorrente de condenação, seja decorrente de prisões cautelares.Alguns deles, não se exclui a possibilidade, estão foragidos no exterior, e a divulgação dessa lista tem a virtude de facilitar que esses indivíduos sejam encontrados e os mandados de prisão sejam cumpridos” , disse Moro.

Segundo o ministério, a lista de procurados foi feita com base em informações obtidas com as áreas de segurança estaduais e a partir de 11 critérios objetivos, como posição de liderança em organização criminosa, capacidade financeira para investir em atividades criminosas, atuação interestadual e internacional, entre outras. Segundo Moro, a lista é importante para facilitar as prisões dos criminosos para que possam cumprir as penas e  enfraquecer a atuação dos crimisosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *