O duelo entre Roseana Sarney e Flávio Dino em 2018

Bem, agora é oficial. Roseana Sarney entrou na “pré-temporada” da disputa de 2018. Nesta semana a notícia de que a ex-governadora estaria empatada com Flávio Dino nas intenções de voto para 2018 atiçou as redes sociais. O que está por trás desse alvoroço?

Quando foi eleito em 2014 Flávio Dino jurou virar a página do sarneísmo da política estadual. O rompimento com as práticas que perpetuaram os sarneys e seus acólitos por décadas seria inevitável, prometia o recém-empossado Flávio Dino em 2015.

Dois anos depois das promessas, uma parte da população se excita com a volta daquilo que quase todo o Maranhão decidiu renunciar nas últimas eleições. O duelo entre Roseana Sarney e Flávio Dino vai se tornando mais provável a cada dia.

Passados dois anos de governo Flávio Dino, a figura do sarneísmo e Roseana Sarney deveria ser uma memória e nada mais que isso. Se hoje a herdeira política de José Sarney galga os primeiros lugares nas intenções de voto colada no atual governador, é porque o governo está deixando a desejar.

E deixa a desejar porque o povo esperava de Flávio Dino muito mais do que um governo mediano. Infelizmente o maior aliado do passado é a ineficiência no presente a falta de perspectiva de futuro.

A revolução prometida por Flávio Dino não veio. E, pior, não existem expectativas de que ela esteja sendo gestada e venha a nascer nos próximos meses. E assim temos o ambiente propício para a volta dos mortos-vivos.

Com todo o respeito aos sarneístas, mas a única chance de Roseana reside no fracasso do governo. Então, vamos aos outros fatos…

O governo Flávio Dino não possui uma bandeira. Transforma crises, muitas delas rotineiras em qualquer governo, em confronto político. Prefere a gritaria à solução dos problemas. Não desceu do palanque desde 2014. E, para finalizar, é incapaz de mostrar ao povo que está em curso um projeto para o estado. A impressão que todos temos é a de que o governo vive cada dia como se fosse o último e faz as coisas sob demanda. Não investe em planejamento, prefere a tensão política.

A vitória de Flávio Dino foi, sem dúvida, uma marco político no estado. Sua possível derrota em 2018 será maior.

Ainda restam dois anos para sabermos se o embate entre Flávio Dino e Roseana Sarney irá acontecer. Caso ocorra, deve entrar para a história como um dos mais acirrados e mais qualificados dos últimos tempos.

E com os outros possíveis postulantes (Maura Jorge, Wellington do Curso e Roberto Rocha) a coisa promete ser ainda melhor.

Fatos dos Municípios

Voltar ao topo