PF deflagra operação para prender ‘hackers’ que invadiram celular de Moro

Agentes federais cumprem quatro mandados de prisão temporária e sete de busca e apreensão em Ribeirão Preto e Araraquara contra supostos suspeitos de envolvimento na invasão de celulares de Sergio Moro e de procuradores da Lava Jato; operação foi autorizada pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília.

A Polícia Federal está nas ruas nesta terça-feira (23) para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão contra supostos suspeitos de envolvimento na invasão de celulares do ministro Sergio Moro (Justiça) e de procuradores da Operação Lava Jato.

A PF cumpre quatro mandados de prisão temporária e sete de busca e apreensão em São Paulo, em Araraquara e Ribeirão Preto. “As investigações seguem para que sejam apuradas todas as circunstâncias dos crimes praticados”, informou a PF.

Spoofing é um tipo de falsificação tecnológica que procura enganar uma rede ou uma pessoa fazendo-a acreditar que a fonte de uma informação é confiável quando, na realidade, não é. A operação mira uma ‘organização criminosa que praticava crimes cibernéticos’.

A narrativa de um hacker que teria invadido os delulares do então juiz Sérgio Moro e dos procuradores da Lava Jato foi divulgada depois das revelações do site The Intercept Brasil, que mostrou ao País e ao mundo o conluio formado entre juiz e procuradores em várias ações da Lava Jatro, incluindo a ação que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

Fatos dos Municípios

Voltar ao topo