Com presença de artistas, protesto em São Paulo pede saída de Temer e eleições diretas

Artistas de vários estilos se reúnem neste domingo (4) no Largo da Batata, zona oeste de São Paulo, para protestar pela saída do presidente Michel Temer (PMDB) e pela convocação de eleições diretas para substituí-lo. O ato por eleições diretas em São Paulo foi convocado por ativistas e cerca de 30 blocos de carnaval.

O cantor Chico César, primeiro a subir no palco no domingo defendeu, antes do show, eleições diretas para evitar o que chamou de “ataque a direitos conquistados pelo povo”, sob a ameaça das reformas pretendidas pelo governo Temer, como a trabalhista e previdenciária.

“A bandeira da democracia é nossa, é dos trabalhadores, é do povo”, afirmou.

O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, criticou as articulações do Congresso para eleger indiretamente o presidente no caso da saída de Temer. “Esse Congresso Nacional não tem autoridade moral para eleger o presidente. O que a gente defende é que o povo quem será o presidente”, disse.

O ato ocorre ao longo de todo o dia. Na programação estão os cantores Criolo, Emicida, Paulo Miklos, Pitty, Mano Brown, Maria Gadú, Tiro, Péricles e Tulipa Ruiz, entre outros. Na página do evento no Facebook, intitulado “SP pelas Diretas Já”, 20 mil pessoas já confirmaram presença.

Este é o segundo grande ato a tratar da crise no governo Temer. No dia 28 de maio, milhares de pessoas já haviam se reunido no Rio de Janeiro para pedir um pleito direto.

Na semana passada, um protesto em defesa das “Diretas Já” reuniu 50 mil pessoas na Praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Artistas como Caetano Veloso e Milton Nascimento também participaram do ato.

Fatos dos Municípios

Voltar ao topo