Corrupção em Bom Jardim: Por que o MPMA e a SECCOR ainda não solicitou as provas do MPF e da PF?

Bom Jardim precisa ser passada a limpo e para isso é necessário que o Ministério Público do Maranhão e a SECCOR – Superintendência de Combate à Corrupção peçam ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal as robustas provas de corrupção já investigadas, pois se trata de ilícitos estaduais e não federais. A população de Bom Jardim clama por justiça, conforme relato abaixo:

Ocorre que em uma decisão recente do Juiz Federal foi citado um texto de um ofício encaminhado pela PF ao Juiz Federal solicitando autorização para compartilhar com a Polícia Civil e com o Ministério Público Estadual provas de provável corrupção de agentes políticos públicos do legislativo (vereadores) de Bom Jardim  apreendidas na operação EDEN da Polícia Federal.

A PF sugere que a Polícia Civil apure provável corrupção dos vereadores no legislativo.

Ocorre que em decisão tanto o MPF quanto o Juiz decidiram por negar o pedido da PF relatando que a PF e o Ministério Público Federal não podem encaminhar as provas sem que antes sejam solicitadas pela Polícia Civil ou pelo Ministério Público Estadual.

Portanto cabe a esses órgãos solicitar as provas e apurar os fatos que levantam suspeita de corrupção na casa do legislativo de Bom Jardim,  cidade que vem passando por maus momentos políticos e que precisa de imediata observação dos poderes fiscalizadores e punitivos.

Depois dessa decisão começaram a vir à tona áudios de conversas entre duas vereadoras e comentários de um provável vídeo onde vereadores recebem e colocam nas meias e nas calças maços de dinheiro em notas de 100 e de 50 reais,  volumes que caracterizam mais de 100 mil reais para cada um dos que estão no vídeo (relata uma pessoa que afirma ter assistido ao vídeo em um celular). 

Cabe ao Ministério Público Estadual e à  SECCOR (Superintendência de Combate à Corrupção), órgão vinculado à  Secretária de Segurança Pública do Estado, solicitar as provas da PF e apurar os fatos,  haja vista que a cidade vem sendo sucateada e precisa urgentemente  combater a corrupção com medidas duras.

Consta em uma representação apresentada ao MP pela prefeita Malrinete Gralhada, um áudio da vereadora Sônia Brandão de Jesus que aponta possível extorsão da vereadora contra a ex-prefeita na tentativa de receber vantagens financeiras da prefeita.  Segue trecho da degravação do áudio que consta na representação.

Em outro áudio a vereadora é  mais incisiva em suas palavras que levantam suspeita de extorsão. 

Fatos dos Municípios

Voltar ao topo