Incêndio na extrema direita: Ricardo Salles acusa Moro de ser “comunista”, “a favor de droga” e “traidor”

O ex-ministro do Meio Ambiente do governo Bolsonaro, Ricardo Salles, bolsonarista radical, fez ataques inusitados ao ex-juiz Sergio Moro, declarado suspeito pelo STF e pré-candidato à Presidência. Foi no programa “Morning Show” da Jovem Pan. Ele afirmou que Moro é “de esquerda”, “comunista”, “a favor de droga” e “traidor” e, finalmente, “tucano”.

Diante das expressões atônitas dos apresentadores e comentaristas, Salles disse: “Moro é a política da dissimulação da traição. Aceitou ser ministro do Bolsonaro sabendo que não tinha nada a ver com o governo. Ele é de esquerda, é contra as armas, a favor de droga, é comunista. O moro é um tucano”.

Salles pediu demissão do Ministério em 23 de junho passado, depois de circular intensamente em Brasília que ele seria preso por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF), de quem era alvo de investigações.

Um inquérito do ministro Alexandre de Moraes, que motivou buscas e apreensão em seus endereços em Brasília e São Paulo, apurava indícios de favorecimento de empresas na exportação ilegal de madeira. Um segundo inquérito, conduzido pela ministra Cármen Lúcia, apurava suspeita de obstruir a maior investigação ambiental da Polícia Federal em favor de quadrilhas de madeireiros. Ele negava irregularidades.

Com a renúncia e a perda do foro privilegiado, os inquéritos foram remetidos à primeira instância.

Brasil247

 

Continue acessando o blog EUDESFELIX.COM.BR e também pelo FACEBOOK

Fatos dos Municípios

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo