Jornalista mineira é a primeira brasileira diagnosticada com a Deltacron, nova cepa do coronavírus

Uma jornalista mineira de 26 anos foi a primeira brasileira a ser diagnosticada com a nova cepa da Covid-19: a Deltacron, que mistura características da Delta e da Ômicron. De acordo com o site R7, Camila Fiorini é uma das 25 pessoas em todo o mundo que estão infectadas pela nova variante do coronavírus. Ela testou positivo após passar as férias na Europa. 

Ainda segundo a reportagem, o retorno ao Brasil precisou ser reagendado depois que saiu o resultado positivo para a Covid. “Uma das maiores características de que eu não estou só com a Ômicron é que ela normalmente não causa perda de olfato e paladar, foi o que o médico falou comigo. E eu tive [ausência de olfato e paladar] por conta da mistura com a Delta”, disse a jornalista. 

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais, informou que até a terça-feira (11) não foi notificada a presença da variante Deltacron no estado.

A nova variante foi descoberta pelo professor de ciências biológicas da Universidade de Chipre e chefe do Laboratório de Biotecnologia e Virologia Molecular, Leondios Kostrikis, e até o momento, não se sabe exatamente o nível de contágio da nova cepa. 
Brasil247
Continue acessando o blog EUDESFELIX.COM.BR e também pelo FACEBOOK

Fatos dos Municípios

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo