Torcedor do Botafogo foi assassinado a golpes de espeto de churrasco

Diego da Silva dos Santos, de 28 anos, torcedor do Botafogo, que morreu no domingo passado no arredores do Engenhão, antes do clássico entre o clube alvinegro e o Flamengo, pelo Campeonato Carioca, não foi atingido por uma bala, conforme informaram os policiais que prestaram os primeiros socorros. De acordo com o laudo do Instituto Médico Legal, Diego morreu após ter sido atingido várias vezes por um objeto “perfuro contundente” — um espeto de churrasco, que teria sido furtado de um bar perto do estádio. A informação foi divulgada, neste domingo, pelo “Esporte Espetacular”, da Rede Globo.

Flamengo x Botafogo – Repercussão da briga

Segundo o delegado responsável pelo caso, a conclusão foi feita a partir de provas periciais e testemunhais.

— Conseguimos fotos e imagens e TV pra identificar a dinâmica completa da confusão, que resultou na morte de Diego — afirmou o delegado Fábio Cardoso, da Delegacia de Homicídios da Capital (DH).

Pouco antes das 18h, horário marcado para o início do jogo, um carro passou próximo à Ala Norte do Engenhão, onde se concentravam torcedores do Botafogo, e fez disparos com arma de fogo. Acreditava-se que Diego tivesse sido alvejados pelos tiros. A briga entre facções de torcidas organizadas causou o ferimento de mais seis torcedores — dois deles com ferimento à bala.

Por causa da confusão, a Justiça do Rio decidiu, em caráter liminar, acatar o pedido do Ministério Público e instaurar torcida única nos clássicos cariocas. A Procuradoria Geral do Estado e o Flamengo anunciaram que vão recorrer da decisão do juiz Guilherme Schilling, do Juizado Especial do Torcedor e os Grandes Eventos. Vasco e Fluminense também se manifestaram contrários à decisão, enquanto o Botafogo mostrou-e inicialmente receptivo à ideia.

No próximo sábado, será disputado, ao menos, um dos jogos da semifinal, que já tem o Vasco garantido como segundo colocado do Grupo C. O clube de São Januário pode ter como rival Flamengo ou Madureira, dependendo do resultado do jogo desta tarde.

O presidente do Vasco, Eurico Miranda, já adiantou que seu time não entrará em campo, caso persista a decisão de torcida única. Haverá uma reunião na Federação do Rio nesta semana para discutir o problema. A princípio, o mando de campo, que indicará a presença da torcida, será do clube que tiver obtido mais pontos.

Fatos dos Municípios

Voltar ao topo