Trabalhadores reivindicam direitos e acabam demitidos no Carrefour

Reportagem do site The Intercept noticia que funcionários receberam apenas R$ 30 por feriado trabalhado em novembro – menos da metade do que recebiam antes; em reuniões nas lojas, gerentes informaram que a rede está se adequando ao decreto que torna os supermercados uma atividade essencial, assinado em agosto por Temer, e que desobriga os supermercados a pagar 100% sobre as horas trabalhadas em feriados e domingos e ficam livres para acordar diretamente com os sindicatos

Por Juliana Gonçalves, do The Intercept – Funcionários da rede Carrefour que trabalharam durante os feriados de novembro tiveram uma desagradável surpresa quando viram o contracheque referente ao mês: receberam apenas R$30 por dia trabalhado– menos da metade do que recebiam antes. Um empregado que recebe R$1290 por mês – ou R$43 por dia – deveria receber R$86 por feriado, já que a diária era dobrada nesses dias.

Em reuniões realizadas nas lojas, gerentes informaram que a rede está se adequando ao decreto que torna os supermercados uma atividade essencial, assinado em agosto deste ano por Michel Temer. Agora, os supermercados não são mais obrigados a pagar 100% sobre as horas trabalhadas em feriados e domingos e ficam livres para acordar diretamente com os sindicatos.

Assim, quem esperava R$258 pelos três feriados de novembro acabou recebendo apenas R$90. No fim das contas, a remuneração do feriado trabalhado acabou sendo menor que a de um dia normal. Com isso, os trabalhadores, assim como os colegas dos Supermercados Mundial, decretaram estado de greve. De acordo com os funcionários, 25 demissões aconteceram após o início da mobilização.

Fatos dos Municípios

Voltar ao topo