Morre Carrie Fisher, a princesa rebelde de Hollywood

Eternizada pelo papel da Princesa Leia na franquia ‘Star Wars’, atriz enfrentou drogas, transtorno de bipolaridade e a vida pública desde a infância.

A atriz Carrie Fisher famosa pelo papel de Princesa Leia na Guerra das Estrelas

Morreu na manhã desta terça-feira, aos 60 anos, a atriz Carrie Fisher. Conhecida pelo papel de princesa Leia, da franquia Star Wars, ela havia sofrido um ataque cardíaco na última sexta-feira, 23, durante um voo entre Londres e Los Angeles. O enfarte ocorreu 15 minutos antes do pouso da aeronave, onde ela foi atendida por enfermeiras identificadas entre os passageiros e, em terra levada a uma UTI (unidade de terapia intensiva) em estado crítico. “É com grande tristeza que Billie Lourd confirma o falecimento de sua mãe, Carrie Fisher, às 8h55 da manhã desta terça. Ela foi amada pelo mundo e sua falta será profundamente sentida”, diz comunicado enviado pelo porta-voz da atriz ao site da revista The Hollywood Reporter.

Além de ser princesa Leia, papel com o qual experimentou o estrelato, Carrie Frances Fisher foi escritora e roteirista e deu vida a dezenas de personagens. Filha de famosos, ela passou toda a vida sob os holofotes de Hollywood. Falou abertamente sobre problemas com drogas, depressão e transtorno de bipolaridade. Foi rebelde, heroína e musa – dentro e fora das telas. Um especial feito pela HBO sobre a sua vida incomum, Wishful Drinking, foi finalista do Emmy na categoria variedade, música e comédia, em 2011.

Biografia — Nascida em Los Angeles, em 21 de outubro de 1956, Carrie era filha da atriz Debbie Reynolds e do cantor Eddie Fisher. Desde cedo, aprendeu a lidar com as peculiaridades da fama. Ela tinha dois anos quando seu pai decidiu se divorciar para se casar com Elizabeth Taylor, em um escândalo que chacoalhou a imprensa no fim dos anos 1950. Elizabeth, na época, era amiga próxima da família e viúva de Mike Todd, melhor amigo de Fisher.

Carrie encontrou nos livros o refúgio para a vida agitada dos pais. Leitora ávida, se revezou entre a escrita e a atuação ao longo dos anos. Abandonou o colégio na adolescência e estudou artes em Londres e Nova York. Fez seu primeiro trabalho como atriz nos palcos da Broadway, no musical Irene, em 1973, antes de estrear no cinema, na comédia Shampoo (1975).

Fatos dos Municípios

Voltar ao topo